para longe

passou a noite procurando. procurava por tudo, inclusive por si própria. tudo perdido no meio da bagunça acumulada por meses. bagunça de casa, bagunça de coração. tudo foi embora: os amores, os discos, o despertador antigo que quebrou. o despertador: presente da mãe quando fez 10 anos, dizia que era para começar a ter responsabilidade com os horários,  mas com o passar dos anos achou queo presente  foi em vão.

abriu a caixa de fotografias e sentou no chão. no meio de um gole de cerveja achou uma foto antiga com os amigos. lembrou de como amavam aquele bar, o quanto choraram os amores perdidos e o quanto comemoraram os amores achados, “ah, se aquelas mesas falassem”. continuou vendo o álbum e depois de vinte-e-tantas fotos o que restou foi muito choro, muito riso e muita saudade pra alimentar o coração.

andou até a estante e começou a fitar os livros. dentro de um deles achou o passaporte perdido por anos, lembrou que guardou depois de uma briga com sua irmã, era um lugar seguro para que a louca não o jogasse pela janela. com ele em mãos, decidiu viajar para algum lugar em que pudesse se encontrar. olhou o que restava da bagunça, separou o que importava no meio de tudo, jogou na mala e foi embora trancando o apartamento. nas escadas o que ouvia no seu ipod determinava que agora era a sua hora de ser feliz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s